quarta-feira, 19 de agosto de 2015

5 dicas para tornar a produção de coco mais lucrativa

hortifruti_coqueiro_coco (Foto: Drawlio Joca / Ed. Globo)
Nada melhor do que água de coco na beira da praia em um dia de muito calor. Além de refrescante, o negócio movimenta milhões.
A produção de água de coco tem incentivado novos plantios em todo o país, o que ajudou o Brasil a subir no ranking geral dos maiores produtores de coco do mundo. Saiu da décima posição, que ocupava em 1990, para o quarto lugar, em 2011, com uma safra estimada em 2,8 milhões de toneladas de coco, atrás apenas da Indonésia (que produz 19,5 milhões de toneladas), das Filipinas (que tem safra anual de 15,3 milhões) e da Índia (que colhe 10,8 milhões de toneladas de coco ao ano).
Considerada apenas a produção de água de coco, o Brasil é líder mundial e movimenta R$ 450 milhões com esse negócio.
Entre as dúvidas frequentes sobre o plantio de coqueiros, estão frutos verdes que caem do pé, árvores doentes e a melhor forma de adubar o solo.
Confira:
1) Como obter um ciclo mais produtivo
De cerca de 30 coquinhos que não murcham do meu coqueiro, aproximadamente oito chegam a vingar, enquanto os demais caem ainda pequenos. O que faço para obter um ciclo mais produtivo?
Estela Jorge Moretto
Rio de Janeiro (RJ)
A perda de frutos imaturos é comum na cultura do coqueiro. É importante manter o solo em bom estado de umidade e, ao mesmo tempo, assegurar uma adubação equilibrada utilizando uma formulação NPK na proporção 20-10-20. Adicione também adubação orgânica.
O ataque de ácaros, no entanto, pode ser outro motivo para a produção escassa do coqueiro. Nesse caso, recomenda-se aplicar a mistura de óleo de algodão 1,5% com detergente neutro 1% (300 mililitros de óleo e 200 mililitros de detergente) adicionada em 20 litros de água. Inicialmente, faça três aplicações a cada 15 dias e, posteriormente, a cada mês. O jato do produto deve ser dirigido para os cachos recém-formados e livres de ataques.
CONSULTOR: HUMBERTO ROLLEMBERG FONTES, engenheiro agrônomo, pesquisador em fitotecnia da Embrapa Tabuleiros Costeiros (CPATC), Av. Beira Mar, 3250, Bairro 13 de Julho, Caixa Postal 44, CEP 49025-040, Aracaju (SE), tel. (79) 4009-1311, humberto.fontes@embrapa.br
2) O que fazer para melhorar o desenvolvimento dos pés
O que posso fazer para melhorar o desenvolvimento de dois pés de coco-da-baía, qual é o adubo mais recomendado para a cultura e quanto tempo leva para dar frutos?Pedro Angelo de Moura
Lavras (MG)
O coqueiro é uma planta originária de clima tropical, encontrando melhores condições de desenvolvimento em locais onde a temperatura média mantém-se em 27ºC e umidade relativa do ar em torno de 80%. Em condições climáticas desfavoráveis, principalmente quando a temperatura se aproxima de 15ºC, a planta não consegue expressar todo seu potencial produtivo.
Já em condições adequadas de clima e solo e com uso de mudas de boa qualidade, a recomendação é fazer uma adubação química anual de 3 a 5 quilos por planta adulta. Também é importante fazer adubação orgânica anual com esterco, ou outra fonte, na quantidade de 10 a 20 quilos por coqueiro adulto.
Em plantas adultas, o efeito da adubação ocorre a partir do segundo ano após a primeira realização. No caso de coqueiros jovens, as dosagens devem variar de acordo com a idade de cada planta. Indica-se aplicar de duas a três vezes na zona de coroamento uma mistura N-P-K a 20-10-20, por exemplo.
Observe a necessidade de manutenção do solo úmido. Em se tratando de plantas jovens e da variedade utilizada, o início da produção ocorre em média a partir do terceiro e quarto ano de idade. Vale ressaltar que o uso de mudas de má qualidade pode comprometer os resultados do plantio.
CONSULTOR: HUMBERTO ROLLEMBERG FONTES, engenheiro agrônomo, pesquisador em fitotecnia da Embrapa Tabuleiros Costeiros (CPATC), Av. Beira Mar, 3250, Bairro 13 de Julho, Caixa Postal 44, CEP 49025-040, Aracaju, SE, tel. (79) 4009-1311, humberto.fontes@embrapa.br
3) Como tratar coqueiros doentes
Será que os três coqueiros do meu sítio em Mateus Leme (MG) estão doentes e eu mesmo posso tratá-los? Dão cachos com muitos coquinhos que secam e caem sem vingar. Quando alguns poucos crescem, não prestam.
Custodio Ribeiro
Belo Horizonte (MG)
Frutos do coqueiro podem não vingar devido à diversos fatores, como estresses ambientais, desequilíbrio nutricional das plantas, ataque de ácaros ou de doenças nos frutos, entre outros. Para a melhoria do pegamento dos cocos, recomenda-se realizar adubação orgânica com cerca de 5 a 10 quilos de esterco por planta, complementada por adubação química utilizando-se 3 quilos de uma formulação NPK (20-10-20) por coqueiro.
O adubo deve ser distribuído a lanço ao redor das plantas, entre 0,5 metro e 1,5 metro do estipe, e, em seguida, incorporado ao solo. A resposta deve ocorrer, em média, somente após o segundo ano, desde que mantida as condições satisfatórias de umidade do solo.
No caso do ataque de ácaros, os cachos novos podem ser pulverizados com uma mistura de óleo de algodão (1,5%) com detergente neutro (1%), sendo três repetições a cada 15 dias e, posteriormente, uma vez por mês. No entanto, para uma orientação correta do controle, é importante solicitar a um engenheiro agrônomo da região para verificar se o ácaro-da-necrose, ou uma possível enfermidade, é o principal responsável pelos danos que estão ocorrendo nos coqueiros.
CONSULTORA: JOANA MARIA SANTOS FERREIRA, pesquisadora da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira Mar, 3250, Caixa Postal 44, CEP 49025-040, Aracaju, SE, tel. (79) 4009-1344, sac@captc.embrapa.br
4) Como plantar coqueiro-anão
Quero aproveitar meu terreno e pensei no coqueiro-anão. Preciso saber como e quando plantar, e o mais importante: onde conseguir as mudas
Anderson Barlsoze de Souza Nova Iguaçu, RJ
Se o objetivo é produzir água de coco, o mais recomendá­vel é o coqueiro-anão. Comece o cultivo no início da estação chuvosa ou use um sistema de irrigação. Em três ou quatro anos pode ser iniciada a colheita. A árvore tem produção anual de 150 a 200 frutos.
O coco-anão também pode ser utilizado como coco seco, mas para isso precisa ser colhido aos 12 meses. Podem ser plantadas 100 mudas de coqueiro-anão em um hectare, em espaçamento de 10 x10 metros.
Cerca de um mês antes do cultivo, abra covas para preencher com terra, três quilos de adubo orgâ­nico e 800 gramas de superfosfato simples. Fixe a muda no solo sem enterrar o caule. Depois de um mês do plantio, realize a adubação em cobertura com 300 gramas de uréia e 200 gramas de cloreto de potássio. Mudas podem ser adquiridas na Embrapa de Petrolina, (85) 3862-2845, enpnz.snt@embrapa.br, com Fernando Duarte Vianna.
CONSULTOR: HUMBERTO ROLLEMBERG FONTES, fitotecnista, pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira-Mar, 3250, Praia 13 de Julho, Caixa Postal 44, Aracaju, SE, tel. (79) 4009-1344, sac@cpatc.embrapa.br
5) Como evitar o apodrecimento do coqueiro
Os frutos do meu coqueiro estão apodrecendo com algo parecido com a doença do ácaro. Há como combater a enfermidade?
Reinaldo Araujo de Almeida | Ipatinga (MG)
Existe um complexo de fungos associado à podridão e à queda de frutos de coqueiro. O Ceratocystis paradoxa causa a podridão negra do coco, provocando perdas devido à queda prematura de frutos jovens e dos mais desenvolvidos. Outro fungo que leva os frutos ao chão é o Lasiodiplodia theobromae, responsável pela podridão basal pós-colheita do coco verde. Nesses casos, é comum a exsudação de albume líquido na forma de gotas junto às brácteas (folhas modificadas).
A queda de cocos ainda pode ser resultado de má nutrição, presença de ácaros ou de outros agentes causadores de doenças, como o Cylindrocladium sp. e o Colletotrichum gloeosporioides. Há produtos no mercado para o controle da podridão dos frutos do coqueiro. Mas é necessário que um engenheiro agrônomo realize o diagnóstico correto da enfermidade.
CONSULTORES: VIVIANE TALAMINI E FREDERICO A. DE OLIVEIRA, pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira Mar, 3.250, Caixa Postal 44, Aracaju (SE), CEP 49025-040, tel. (79) 4009-1300
Fonte:http://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/noticia/2014/09/6-dicas-para-tornar-sua-producao-de-coco-mais-lucrativa.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário