segunda-feira, 13 de maio de 2013

Coqueiro Anão Correção de Solo e Adubação




Coqueiro Anão -Adubação

ORGANO-MINERAL
A condição nutricional do coqueiro é importante para a produção de frutos. A quantidade de nutrientes extraídos pela cultura poderá atingir valores elevados, considerando-se que a produtividade pode situar-se entre 150 e 250 frutos por planta por ano a partir do 30 ano de produção (50anos de cultivo). A planta sob deficiência nutricional diminui o número de flores femininas por espata e tem dificuldades em manter a fecundação e os frutos formados, ocorrendo queda prematura dos mesmos. Para um programa de produção intensiva de coco é necessário que os nutrientes essenciais à cultura sejam supridos nos períodos de exigência, em quantidades adequadas. Objetivando uma nutrição equilibrada do pomar a avaliação da fertilidade do solo é a base inicial do conhecimento para o planejamento e uso de corretivos e fertilizantes. A correção da acidez do solo beneficia a cultura sob três aspectos: neutraliza a toxidez de alumínio e manganês, aumenta a oferta de cálcio e magnésio no solo e eleva o pH disponibilizando nutrientes. O método mais utilizado para recomendação de calcário na correção de acidez no solo é o da saturação de bases que, no caso do coqueiro, o valor desejado corresponde a 60%. Para solos arenosos, as doses de calcário como corretivo da acidez geralmente se situa entre 2,0 t.ha-1 e 3,0 t.ha-1. Estabelecida a recomendação de corretivo, o passo seguinte é verificar o equilíbrio entre cátions no solo com a finalidade de reforçar a adubação do nutriente encontrado em proporção desfavorável, prevenindo problemas de interação competitiva que podem interferir na absorção pelas plantas. Para potássio, cálcio e magnésio a faixa de adequação no solo situa-se entre 1:9:3 a 1:25:5 (PPI,Citado por Malavolta et al, 1993).A adubação é uma das práticas de expressivo impacto na produtividade do coqueiro. Sobral & Leal (1999) maximizaram a produção de coqueiro gigante com acréscimos acima de 40% na produção de cocos, em argissolo, sob cultivo de sequeiro, com 15 Tecnologias para produção intensiva de coco anão verde 1.032 g.pl-1.ano-1, 370 g.pl-1.ano-1 e 1.270 g.pl-1.ano-1 respectivamente de N, P2 O5 e K2 O, tendo como fontes a uréia, o superfosfato simples e o cloreto de potássio. De acordo com Kiehl (1999), aplicações conjuntas de NPK

E esterco promoveram aumento na produção do coqueiro, sendo benéfica à associação organo-mineral. O adubo orgânico tem a vantagem de atuar como um fertilizante de liberação lenta, fornecendo nutrientes de forma contínua, melhorando as condições físicas e biológicas do solo. Portanto, a importância da adubação orgânica não está ligada somente ao aporte de nutrientes para a planta, sendo fundamental na estruturação do solo, propiciando maior retenção de água e nutrientes dos adubos minerais utilizados e permitindo melhor desenvolvimento das raízes do coqueiro. Como adubo orgânico, o mais usado é o esterco de curral em dose que varia com a idade do pomar de 30 a 60 litros por planta por semestre se for fertirrigado e, por ano, se o cultivo for de sequeiro, aplicados em uma faixa circular da projeção da copa começando, no coqueiro adulto, após 1,50m do estipe. A adubação mineral é essencial para garantir boa produtividade do coqueiral. A quantidade de fertilizantes deve ser recomendada em função da análise química do solo. Para solos pobres em fósforo a recomendação de adubos fosfatados varia com a idade do pomar, de 100 a 300g de P2 O5 por planta por semestre, quando o pomar for fertirrigado. A escolha de adubos como fontes de nitrogênio e fósforo é função da classe textural, ph e teor de bases no solo. Solos alcalinos de substrato calcário requerem adubos acidificantes como o mono amônio fosfato (MAP) e sulfato de amônio, enquanto os solos ácidos, de textura arenosa e baixa capacidade de troca de cátions (CTC) requerem fontes multinutrientes como o superfosfato simples e farinhas de osso. Adubos de baixa solubilidade devem ser aplicados via sólida, diretamente no solo, dada a lenta liberação de nutrientes, efeito residual prolongado e a inconveniência de uso em fertirrigação, com risco de entupimento de tubulações e equipamentos de dis-16 Tecnologias para produção intensiva de coco anão verde tribuição da água. Nutrientes de menor requerimento pelas plantas como fósforo e micronutrientes tendo como fontes comerciais adubos menos solúveis devem ser aplicados no solo, juntamente com o adubo orgânico. Provavelmente aplicações semestrais de adubação orgânica favorecem a manutenção de níveis satisfatórios de nitrogênio no coqueiro. Por outro lado, a fertilização semestral química e orgânica de cobertura ajuda o fornecimento de nutrientes em níveis adequados às exigências da cultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário