terça-feira, 30 de abril de 2013

Sazonalidade dos preços do coco seco e coco verde no Brasi




O conhecimento do comportamento sazonal dos preços ao longo do tempo é de fundamental importância. Conhecendo esta, os produtores e demais agentes da cadeia passam a entender a sinalização das forças de mercado que determinam a oferta e demanda do produto.
Analisando-se a sazonalidade dos preços do coco seco na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP), principal centro de comercialização do país, observa-se que a época de melhores preços ocorre entre junho e outubro, período em que, devido à estação chuvosa, a oferta do produto se retrai na região Nordeste, fornecedora de mais de 90% do coco seco comercializado no país. A sazonalidade dos preços do coco verde comporta-se de forma bastante diferente à do coco seco, principalmente na CEAGESP-SP, onde os maiores níveis registram-se entre dezembro e março, coincidindo com o período de férias escolares e meses de maior afluência de veranistas nas praias. Em Belo Horizonte os maiores preços são registrados em fevereiro, caindo a seguir, atingindo seu mínimo em dezembro. Em Brasília, os preços começam em ascensão no mês de setembro, atingindo a elevação máxima no mês de março, para cair em seguida, chegando ao mínimo em agosto.
No Rio de Janeiro o comportamento dos preços, em média 20% menores que em Brasília, registram a mesma sazonalidade, atingindo o máximo em fevereiro e o mínimo em agosto.