domingo, 26 de junho de 2016

Mudas Nativas -Viveiro de Mudas Nativas para Reflorestamento

domingo, 22 de novembro de 2015

Coqueiro Anão - Mudas de Coco Anão - Preço de Mudas Coqueiro Anão e Pronta Entrega

Coqueiro Anão em Vasos

Mudas de coqueiro anão destaca ou coco anão - se por sua atividade de plantio e venda constante devido à utilização de consumo e comercialização do seu fruto.
As mudas de coqueiro anão têm sido solicitadas com freqüência para o plantio em praças, canteiros públicos, chácaras e fazenda. Sendo uma planta de grande importância e beleza seu fruto chega a produzir cerca de 100 produtos e subprodutos com um mercado atuante.
As cidades que mais produzem cocos são aquelas pertencem a regiões com climas  tropicais quentes e úmidos, pois para seu bom desenvolvimento e a produção de frutos.
Existem condições para que haja este desenvolvimento como; as temperaturas entre 20°C a 35°c com média em torno de 27°C caso as temperaturas sejam acima da máxima ou abaixo da mínima poderá ser prejudiciais a planta.
O coqueiro pode ser anão, gigante,hibrido, o mais solicitado geralmente em varias regiões são os de variedade anão.
Esta variedade (anão verde) é a mais recomendada para produção de cocos e sucessivamente o mercado de água de coco.
Com um plantio de qualidade resultam em arvores de coqueiro anão que produzirão frutos de qualidade.
A escolha do local para o plantio destas mudas do coqueiro anão é muito importante para seu desenvolvimento, o clima quente em solos leves é ideal para o sucesso na produção de coqueiros da espécie anão.
Com relação ao tipo de solo, deve ser levado em consideração que o coqueiro anão é uma planta que desenvolve em solos leves, com características arenosas, sempre lembrando que o local que receberá estas plantas necessita de uma abundante fonte de irrigação  para propiciar qualidade ao coqueiral.
As mudas de coqueiro anão no vaso tem sido uma forma para alcançar os fatores principais de qualidade para obtendo sucesso na produção de coqueiro anão. O objetivo principal desta qualidade esta associada ao atendimento das grandes demandas no comercio da água deste coco quando nas demais características aproveitáveis que o coqueiro anão possui, como  a vendas e produção das mudas , o uso para ornamentação de ambientes e valorização do mesmo,sendo que esta planta é conhecida como a planta de mil e uma utilidades. 
Uma planta que conhecida e reconhecida pela sua ampla utilização onde suas partes como a sua raiz, caule, folhas e inflorescência de frutos são usados em varias atividades, no artesanato de suas folhas para fins alimentícios, nutricionais, agroindustriais, medicinais e principalmente a sua utilidade no comercio da água de coco sendo de comercialização nacional e internacional. Esta água tão procura e aceita por muito possui em sua composição 93% de água, 6% de açúcar e também vitaminas e sais minerais. 
Entre em contato conosco produzimos coqueiro anão de qualidade além de mudas frutíferas e árvores nativas para reflorestamento.
coqueiro anão em vasos plasticos
Por circunstâncias de um mercado crescente a procura por esta espécie de coco anão tem aumentado e também a busca por áreas disponíveis para a produção e técnicas avançadas de cultivos que podem trazer melhor padrão a estas plantas. 
As plantas de coqueiro anão são mudas que interessam tanto á produtores como a consumidores diretos e indiretos desta planta. Cada vez mais estatísticas apontam uma alta procura dos frutos desta planta e o plantio em praças públicas, jardins e outros. O viveiro de mudas florestas possui mudas de qualidade.Com a expansão na procura de de mudas de coqueiro anão também ocorre a necessidade de aumento nas ofertas de preços e qualidade no padrão destas mudas oferecendo uma escala produtiva aceitável. Atualmente a cultura de produção de de mudas coqueiro anão passa por uma nova fase tecnológica. 
Com fases novas e avanços significativos nesta tecnológica de produção sendo mais rápida, ocasionará em novas necessidades de áreas a serem plantadas e também uma nova demanda de produção destas árvores e conseqüentemente os preços destes frutos.


coqueiro anão produzindo

No Brasil, a cultura do coqueiro anão (Cocos nucifera L.) vem
alcançando incrementos significativos na área plantada nos últimos
cinco anos, com 57.000 ha cultivados, sendo cerca de 33.000 ha no
Nordeste, onde se incluem cerca de 10.000 ha no Vale do São
Francisco. Dessa área total, a maior parte ainda se encontra em fase
de formação ou início de produção, e apenas cerca de 3.000 ha
encontram-se em produção plena.
1Professor DAG/UFLA. Caixa Postal 37, 37.200-000, Lavras-MG.
2 Eng. Agro ; Ph.D.; Pesquisador EMPARN, Cx Postal 188 – Natal-RN, CEP:59.020-390.
3 Aluna de Graduação/UFLA.
4 Eng. Agro Doutorando em Agronomia/Fitotecnia/UFLA
6
Apesar de ainda estar em crescimento o coco anão , a área em produção
tem sido responsável pela oferta no mercado interno de cerca de
280 milhões de unidades de três cocos-verdes/ano, equivalentes a
420.000 toneladas.
Essa crescente expansão do coqueiro anão é impulsionada pela grande
demanda pela água-de-coco, símbolo de bebida natural, tanto para o
consumo natural quanto empacotada em embalagem longa-vida, o
que vem permitindo sua distribuição em todas as regiões do País.
Além disso, o mercado internacional tem mostrado algumas
perspectivas aos produtores brasileiros.
A maior parte das
exportações de mudas coco anão-destina-se especificamente para a
produção de água.
Com objetivo de melhor orientar os interessados no cultivo do
coqueiro anão, com a presente publicação serão discutidas, de
forma simples e sistematizada, as diversas práticas culturais que
abrangem as etapas de produção, com ênfase desde escolha da
área para plantio até a comercialização.
coqueiro anão adulto
7
2 CLIMA
Dentre os fatores climáticos, destacam-se a precipitação
pluviométrica e temperatura.
O coqueiro é uma planta que exige entre 1.500 e 2000 mm
anuais de chuva bem distribuídos, para externar todo seu potencial
produtivo. Um período de três meses com menos de 50 mm de
precipitação por mês é consideravelmente prejudicial ao coqueiro.
Contudo, uma excessiva quantidade de chuva pode ser prejudicial à
planta, dificultando a ocorrência de uma boa fecundação, reduzindo
a aeração do solo e aumentando a lixiviação dos elementos
minerais. Entretanto, verifica-se que nem sempre as condições
adequadas de pluviosidade são atendidas
. Dessa forma, a
suplementação de água pela irrigação ou o plantio em locais com
lençol freático pouco profundo são medidas recomendáveis.
8
O coqueiro anão
necessita de insolação superior a 1.800 horas/ano e umidade
relativa superior a 60 %.
3 SOLO
Recomenda-se a utilização de solos com textura arenosa ou
areno-argilosa, com profundidade superior a um metro e sem
camadas que possam impedir o desenvolvimento do sistema
radicular. 
Devem possuir boa aeração, pH acima de 5,0, não
estarem sujeitos ao encharcamento e apresentarem boa fertilidade.
4 OBTENÇÃO DE SEMENTES E MUDAS
As mudas para plantio devem ser adquiridas de viveiristas
credenciados junto à CESM (Comissão Estadual de Sementes e
9
As mudas de coqueiro anão ,as quais devem ser acompanhadas por Nota Fiscal, além
do certificado de garantia da qualidade das mesmas e livre-trâmite
emitidos por esse órgão.
De acordo com a Portaria nº 301/98, de 19
de outubro de 1998, as Normas e Padrões de Mudas e Sementes no
Estado de Minas Gerais são as seguintes:
4.1 Normas e padrões para a produção de sementes de
coqueiro anão
Origem da semente: As sementes devem ser originárias de plantas
matrizes, selecionadas nas populações de coqueiros, registradas na
Entidade Certificadora e/ou Fiscalizadora, ou de pomares
registrados para a produção de sementes. No caso de sementes de
híbridos, a hibridação deve ser feita a partir de cruzamentos
controlados. A comprovação da origem é descrita na nota fiscal e no
atestado de garantia.
Área máxima para inspeção: 50 ha
No pomar registrado, não será permitida a presença de outras
cultivares. As plantas matrizes e o pomar registrado deverão estar
afastados de outras cultivares ou plantas da mesma família, a uma
coqueiro anão mudas

10
distância de, pelo menos, 500 metros, com barreira ou 1000 metros
livres.
Colheita do coco-semente: Entre 11 e 12 meses, a partir da abertura
da inflorescência, e a semente deverá possuir água. Deverão ser
eliminadas as sementes deformadas ou com presença de pragas
e/ou doenças.
Vistorias obrigatórias do campo pelo responsável técnico: Uma na
época da inflorescência e outra, na colheita.
Fiscalização oficial do campo: Os campos de plantas matrizes ou
pomares registrados serão fiscalizados em qualquer etapa da
produção.
4.2 Normas e padrões para a produção de mudas de
coqueiro anão 
Viveiro: Os talhões devem ser identificados por placas que contêm
nome da cultivar, mês e ano de plantio e número de plantas; o
viveirista deve dispor de croqui de seu viveiro; o viveiro deverá
localizar-se a pleno sol, em solos bem drenados, mantido livre de
plantas daninhas (trevo ou tiririca, por exemplo) e qualquer tipo de
gramínea.
mudas de coqueiro
Segundo a Secretaria da Agricultura, 632,6 mil coqueiro anão de um total 
de 820 mil no Estado ainda não produzem


Árvore típica das praias nordestinas, o coqueiro anãoestá se proliferando rapidamente 
no Centro-Sul do país.
A recente valorização a alimentos saudáveis e naturais está elevando o consumo da 
água-de-coco, dando sustentação ao plantio em Estados pouco tradicionais nessa
  produção, como os da região Sudeste.
Segundo pesquisa realizada pela Secretaria da Agricultura de São Paulo, a produção
de coco anão no Estado deverá aumentar cerca de 25% este ano, atingindo 10,3 milhões 
de unidades.
O levantamento aponta ainda que há 820 mil coqueiro coqueiro anão em propriedades no território
  paulista.
Fonte: Folha de São Paulo, 28 de novembro de 2000, página F3

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Adubação é primordial para boa produtividade do coqueiro anão

Essa exigência se faz necessária pelo fato de tratar-se de uma planta de alta produtividade e, portanto, a sua absorção dos nutrientes do solo é proporcional

Leia mais: http://www.cpt.com.br/cursos-cultivodecoco-agricultura/artigos/adubacao-essencial-aumento-produtividade-coqueiro-anao#ixzz3pGI35aGA

http://cptstatic.s3.amazonaws.com/imagens/enviadas/materias/materia2162/m-coco-adubacao.jpg
A maioria da população brasileira introduziu em seus hábitos o consumo de coco “in natura”.
Nos últimos anos, o cultivo do coqueiro anão vem se expandindo largamente no Brasil. Hoje, a sua presença não se limita apenas às regiões litorâneas, locais caracterizados por solos arenosos, mas pode-se encontrá-lo, com produtividade satisfatória, na maioria dos estados.

No que se refere ao mercado para esse produto, pode-se dizer que é bastante receptível, pois a grande maioria da população brasileira, de todas as classes sociais, introduziu em seus hábitos e costumes o consumo de coco “in natura”. Haja vista que, mesmo com o aumento das áreas cultivadas e a utilização de novas tecnologias, a produção nacional de coco, ainda, não atende suficientemente à demanda de mercado, que a cada dia é maior.

coqueiro anão é uma planta de características rústicas, cuja produtividade é simples de ser conduzida e apresenta elevados níveis de produção, principalmente, quando há introdução de inovações tecnológicas. A irrigação associada ao controle eficiente de pragas e doenças, junto à boa adubação, duplicam a produção anual.

Entre essas técnicas de manejo, a adubação é exigida tanto no cultivo irrigado, como no de sequeiro, dessa espécie. Essa exigência se faz necessária pelo fato de tratar-se de uma planta de alta produtividade e, portanto, a sua absorção dos nutrientes do solo é proporcional. Assim, essa técnica  é primordial para se alcançar uma alta produção, com qualidades desejáveis. Quando se trata de coqueiro irrigado, a importância da adubação se iguala à irrigação e, nos cultivos de sequeiro, a adubação representa a etapa mais importante, para se elevar a produção.

aplicação de fertilizantes no solo tem como objetivo principal manter ou aumentar a quantidade de nutrientes do mesmo, de forma a atender às exigências das plantas. Com ela, espera-se conseguir melhor produtividade e produtos de melhor qualidade, de forma que os benefícios ou lucros, superem os custos financeiros e ambientais. Mas essa expectativa pode ser frustrada com a utilização inadequada dos adubos. O desequilíbrio de nutrientes no solo, seja por carência ou por excesso, pode levar à redução da produtividade esperada.
http://cptstatic.s3.amazonaws.com/imagens/enviadas/materias/materia2162/m-coqueiro-anao-adubacao.jpg
A aplicação do nutriente correto no momento e na dose adequada, representa uma das principais técnicas para a obtenção de boa produtividade.
Com o objetivo de disseminar conhecimentos a cerca da adubação, em busca de melhor produtividade, o CPT - Centro de Produções Técnicas elaborou o curso “Adubação do Coqueiro Anão”, no qual você estará recebendo informações do Dr. Luiz Ângelo Mirisola Filho, especialista em cultura do coqueiro, Mestre pela Universidade Estadual do Norte Fluminense e Doutor pela Universidade Federal de Viçosa.

Entre os assuntos abordados no curso estão as principais características dos solos; características e importância dos nutrientes; amostragens; tipos de adubação do coqueiro anão; adubação convencional de cobertura; fertirrigação.

Após fazer o curso e ser aprovado na avaliação, o aluno recebe um certificado de conclusão emitido pela UOV – Universidade On-line de Viçosa, filiada mantenedora da ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância.

produção de coco anão para consumo in natura é uma atividade bastante lucrativa que vem se expandindo muito no Brasil. Entretanto, para se conseguir níveis satisfatórios de produtividade, é muito importante adotar técnicas de cultivo adequadas. A adubação eficiente, que consiste na aplicação do nutriente correto no momento certo e na dose adequada, representa uma das principais técnicas responsáveis pela obtenção de boas produtividades.


AVISO LEGAL

Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.cpt.com.br.


Leia mais: http://www.cpt.com.br/cursos-cultivodecoco-agricultura/artigos/adubacao-essencial-aumento-produtividade-coqueiro-anao#ixzz3pGI7ym00

domingo, 30 de agosto de 2015

Coqueiro (Cocos nucifera)

Quando essa árvore atinge um tamanho excepcional, ela chega a medir 30 metros de altura (Foto: Arquivo TG)

Coqueiro (Cocos nucifera)

CONFIRA GALERIA DE FOTOS

Nome Científico: 
Cocos nucifera
Família: Palmae
Características Morfológicas: Esta árvore tem, em média, de dez a 20 metros de altura. Muito excepcionalmente chega a medir 30 metros. O tronco fica entre 20 e 30 centímetros de diâmetro. As folhas também não são pequenas (ficam entre dois e três metros de comprimento). Afora isso ainda tem o cacho (chamado de espádice) com 80 a 100 centímetros de comprimento. O fruto é uma noz grande com uma semente recoberta por uma casca dura.
Origem: Brasil (embora não ocorra só por aqui; algumas correntes dizem que ele é originário da Índia).
Ocorrência Natural: Ocorre do Pará até São Paulo, mas principalmente do Rio Grande do Norte à Bahia.
 Quando essa árvore atinge um tamanho excepcional, ela chega a medir 30 metros de altura (Foto: Arquivo TG)
Quem nunca tomou uma água de coco na praia, ao menos já a encontrou em caixinhas, feito suco, em supermercados e outros estabelecimentos. Pois é justamente do coco deste coqueiro que essa água vem.
Seus outros nomes populares são coco-da-bahia, simplesmente coco, ou coqueiro-da-bahia. No interior da casca encontra-se a amêndoa, que é a parte comestível (com cerca de um centímetro de espessura) e na sua cavidade cheia de líquido, a famosa água de coco. Dizem que a sua composição é semelhante a do soro fisiológico, o que a torna eficiente para hidratar a pele, reduzir o colesterol, combater a desidratação, enjoos e também a retenção de líquidos no organismo.
Embora da formação do fruto até o seu amadurecimento se leve 12 meses, é fácil encontrá-lo o ano inteiro, por conta dos vários híbridos da espécie.
O coqueiro-anão-verde é o mais precoce deles, podendo florescer até com dois anos de idade após o seu plantio. Mas como planta essencialmente tropical, ele precisa de água e calor (não inferior a 22 graus) para a floração.
Fora a água, a polpa do coco – rica em proteínas e vitaminas – pode ser consumida ao natural, ralada, ou ainda utilizada no preparo de pratos típicos, especialmente os da culinária nordestina.
Além de toda essa gama de aplicações, a madeira deste coqueiro também é muito usada como pilastras de cais para barcos pesqueiros, em construções rurais e na confecção de objetos artesanais. Tem também ótima aplicação em paisagismo, sobretudo na orla das cidades da costa atlântica.
Saiba mais:
Árvores Brasileiras – Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil, de Harri Lorenzi.
FONTE:http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/terra-da-gente/flora/noticia/2015/02/coqueiro.html

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

5 dicas para tornar a produção de coco mais lucrativa

hortifruti_coqueiro_coco (Foto: Drawlio Joca / Ed. Globo)
Nada melhor do que água de coco na beira da praia em um dia de muito calor. Além de refrescante, o negócio movimenta milhões.
A produção de água de coco tem incentivado novos plantios em todo o país, o que ajudou o Brasil a subir no ranking geral dos maiores produtores de coco do mundo. Saiu da décima posição, que ocupava em 1990, para o quarto lugar, em 2011, com uma safra estimada em 2,8 milhões de toneladas de coco, atrás apenas da Indonésia (que produz 19,5 milhões de toneladas), das Filipinas (que tem safra anual de 15,3 milhões) e da Índia (que colhe 10,8 milhões de toneladas de coco ao ano).
Considerada apenas a produção de água de coco, o Brasil é líder mundial e movimenta R$ 450 milhões com esse negócio.
Entre as dúvidas frequentes sobre o plantio de coqueiros, estão frutos verdes que caem do pé, árvores doentes e a melhor forma de adubar o solo.
Confira:
1) Como obter um ciclo mais produtivo
De cerca de 30 coquinhos que não murcham do meu coqueiro, aproximadamente oito chegam a vingar, enquanto os demais caem ainda pequenos. O que faço para obter um ciclo mais produtivo?
Estela Jorge Moretto
Rio de Janeiro (RJ)
A perda de frutos imaturos é comum na cultura do coqueiro. É importante manter o solo em bom estado de umidade e, ao mesmo tempo, assegurar uma adubação equilibrada utilizando uma formulação NPK na proporção 20-10-20. Adicione também adubação orgânica.
O ataque de ácaros, no entanto, pode ser outro motivo para a produção escassa do coqueiro. Nesse caso, recomenda-se aplicar a mistura de óleo de algodão 1,5% com detergente neutro 1% (300 mililitros de óleo e 200 mililitros de detergente) adicionada em 20 litros de água. Inicialmente, faça três aplicações a cada 15 dias e, posteriormente, a cada mês. O jato do produto deve ser dirigido para os cachos recém-formados e livres de ataques.
CONSULTOR: HUMBERTO ROLLEMBERG FONTES, engenheiro agrônomo, pesquisador em fitotecnia da Embrapa Tabuleiros Costeiros (CPATC), Av. Beira Mar, 3250, Bairro 13 de Julho, Caixa Postal 44, CEP 49025-040, Aracaju (SE), tel. (79) 4009-1311, humberto.fontes@embrapa.br
2) O que fazer para melhorar o desenvolvimento dos pés
O que posso fazer para melhorar o desenvolvimento de dois pés de coco-da-baía, qual é o adubo mais recomendado para a cultura e quanto tempo leva para dar frutos?Pedro Angelo de Moura
Lavras (MG)
O coqueiro é uma planta originária de clima tropical, encontrando melhores condições de desenvolvimento em locais onde a temperatura média mantém-se em 27ºC e umidade relativa do ar em torno de 80%. Em condições climáticas desfavoráveis, principalmente quando a temperatura se aproxima de 15ºC, a planta não consegue expressar todo seu potencial produtivo.
Já em condições adequadas de clima e solo e com uso de mudas de boa qualidade, a recomendação é fazer uma adubação química anual de 3 a 5 quilos por planta adulta. Também é importante fazer adubação orgânica anual com esterco, ou outra fonte, na quantidade de 10 a 20 quilos por coqueiro adulto.
Em plantas adultas, o efeito da adubação ocorre a partir do segundo ano após a primeira realização. No caso de coqueiros jovens, as dosagens devem variar de acordo com a idade de cada planta. Indica-se aplicar de duas a três vezes na zona de coroamento uma mistura N-P-K a 20-10-20, por exemplo.
Observe a necessidade de manutenção do solo úmido. Em se tratando de plantas jovens e da variedade utilizada, o início da produção ocorre em média a partir do terceiro e quarto ano de idade. Vale ressaltar que o uso de mudas de má qualidade pode comprometer os resultados do plantio.
CONSULTOR: HUMBERTO ROLLEMBERG FONTES, engenheiro agrônomo, pesquisador em fitotecnia da Embrapa Tabuleiros Costeiros (CPATC), Av. Beira Mar, 3250, Bairro 13 de Julho, Caixa Postal 44, CEP 49025-040, Aracaju, SE, tel. (79) 4009-1311, humberto.fontes@embrapa.br
3) Como tratar coqueiros doentes
Será que os três coqueiros do meu sítio em Mateus Leme (MG) estão doentes e eu mesmo posso tratá-los? Dão cachos com muitos coquinhos que secam e caem sem vingar. Quando alguns poucos crescem, não prestam.
Custodio Ribeiro
Belo Horizonte (MG)
Frutos do coqueiro podem não vingar devido à diversos fatores, como estresses ambientais, desequilíbrio nutricional das plantas, ataque de ácaros ou de doenças nos frutos, entre outros. Para a melhoria do pegamento dos cocos, recomenda-se realizar adubação orgânica com cerca de 5 a 10 quilos de esterco por planta, complementada por adubação química utilizando-se 3 quilos de uma formulação NPK (20-10-20) por coqueiro.
O adubo deve ser distribuído a lanço ao redor das plantas, entre 0,5 metro e 1,5 metro do estipe, e, em seguida, incorporado ao solo. A resposta deve ocorrer, em média, somente após o segundo ano, desde que mantida as condições satisfatórias de umidade do solo.
No caso do ataque de ácaros, os cachos novos podem ser pulverizados com uma mistura de óleo de algodão (1,5%) com detergente neutro (1%), sendo três repetições a cada 15 dias e, posteriormente, uma vez por mês. No entanto, para uma orientação correta do controle, é importante solicitar a um engenheiro agrônomo da região para verificar se o ácaro-da-necrose, ou uma possível enfermidade, é o principal responsável pelos danos que estão ocorrendo nos coqueiros.
CONSULTORA: JOANA MARIA SANTOS FERREIRA, pesquisadora da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira Mar, 3250, Caixa Postal 44, CEP 49025-040, Aracaju, SE, tel. (79) 4009-1344, sac@captc.embrapa.br
4) Como plantar coqueiro-anão
Quero aproveitar meu terreno e pensei no coqueiro-anão. Preciso saber como e quando plantar, e o mais importante: onde conseguir as mudas
Anderson Barlsoze de Souza Nova Iguaçu, RJ
Se o objetivo é produzir água de coco, o mais recomendá­vel é o coqueiro-anão. Comece o cultivo no início da estação chuvosa ou use um sistema de irrigação. Em três ou quatro anos pode ser iniciada a colheita. A árvore tem produção anual de 150 a 200 frutos.
O coco-anão também pode ser utilizado como coco seco, mas para isso precisa ser colhido aos 12 meses. Podem ser plantadas 100 mudas de coqueiro-anão em um hectare, em espaçamento de 10 x10 metros.
Cerca de um mês antes do cultivo, abra covas para preencher com terra, três quilos de adubo orgâ­nico e 800 gramas de superfosfato simples. Fixe a muda no solo sem enterrar o caule. Depois de um mês do plantio, realize a adubação em cobertura com 300 gramas de uréia e 200 gramas de cloreto de potássio. Mudas podem ser adquiridas na Embrapa de Petrolina, (85) 3862-2845, enpnz.snt@embrapa.br, com Fernando Duarte Vianna.
CONSULTOR: HUMBERTO ROLLEMBERG FONTES, fitotecnista, pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira-Mar, 3250, Praia 13 de Julho, Caixa Postal 44, Aracaju, SE, tel. (79) 4009-1344, sac@cpatc.embrapa.br
5) Como evitar o apodrecimento do coqueiro
Os frutos do meu coqueiro estão apodrecendo com algo parecido com a doença do ácaro. Há como combater a enfermidade?
Reinaldo Araujo de Almeida | Ipatinga (MG)
Existe um complexo de fungos associado à podridão e à queda de frutos de coqueiro. O Ceratocystis paradoxa causa a podridão negra do coco, provocando perdas devido à queda prematura de frutos jovens e dos mais desenvolvidos. Outro fungo que leva os frutos ao chão é o Lasiodiplodia theobromae, responsável pela podridão basal pós-colheita do coco verde. Nesses casos, é comum a exsudação de albume líquido na forma de gotas junto às brácteas (folhas modificadas).
A queda de cocos ainda pode ser resultado de má nutrição, presença de ácaros ou de outros agentes causadores de doenças, como o Cylindrocladium sp. e o Colletotrichum gloeosporioides. Há produtos no mercado para o controle da podridão dos frutos do coqueiro. Mas é necessário que um engenheiro agrônomo realize o diagnóstico correto da enfermidade.
CONSULTORES: VIVIANE TALAMINI E FREDERICO A. DE OLIVEIRA, pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira Mar, 3.250, Caixa Postal 44, Aracaju (SE), CEP 49025-040, tel. (79) 4009-1300
Fonte:http://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/noticia/2014/09/6-dicas-para-tornar-sua-producao-de-coco-mais-lucrativa.html

domingo, 19 de julho de 2015

Análise sensorial da água de coco anão verde processada e comercializada no sertão paraibano e cearense

Resumo - O Brasil, atualmente, possui uma grande tendência de crescimento do cultivo do coqueiro anão verde, onde o principal objetivo deste se da para a produção da água de coco, sua cultura esta distribuída em todo o território nacional, destacadamente na região Nordeste onde se concentram os maiores plantios do país. A água de coco é um produto natural que vem ganhando espaço no mercado como uma bebida de vasto potencial comercial, pois além de ser um produto natural é praticamente livre de contaminações, possui baixo teor calórico, considerável valor nutricional e apresenta aroma e sabor suaves e agradáveis. Neste contexto se faz necessário a avaliação da qualidade sensorial da água de coco industrializada e comercializada de forma a garantir a qualidade do produto para o consumidor. Com isso este trabalho objetivou avaliar sensorialmente á água de coco anão verde, produzidas comercialmente e envasadas, por indústrias do Sertão Paraibano e do Ceará. As amostras de água de coco proveniente das indústrias, foram analisadas sensorialmente no laboratório de microbiologia do CVT – UFCG - Pombal, utilizando o teste de comparação múltiplas utilizando uma escala hedônica de 9 pontos (9 = gostei extremamente, até 1 desgostei), também foi aplicado o teste de intenção de compra utilizando-se uma escala estruturada de 5 pontos (1 = certamente compraria, até 5 = Certamente compraria), conforme metodologia do Instituto Adolfo Lutz. Os resultados dos testes somente se deram até o 15 dias de armazenamento, onde 70% dos copos de água de coco armazenados, apresentaram-se turvos e com produção de gás, demonstrando a partir deste ponto impróprios para o consumo. Com 30 dias de armazenamento todas as amostras apresentaram insatisfatórios para consumo, demonstrando resultados preocupantes quanto a estabilidade da qualidade do produto durante sua validade comercial. Sugere-se como forma de garantia e manutenção da qualidade da água de coco à implantação e monitoramento de Boas  Práticas de Fabricação para as unidades
Palavras chave: Água de coco, qualidade, sensorial

Fonte :http://gvaa.com.br/revista/index.php/RVADS/article/viewFile/3466/pdf_1095

terça-feira, 21 de abril de 2015

Comportamento de cultivares de coqueiro anão


Comportamento de cultivares de coqueiro anão

nos Tabuleiros Costeiros do Piauí

Introdução Na Região Meio-Norte do Brasil, que compreende os estados do Piauí e Maranhão, são cultivados cerca de 3.000 ha de coqueiro anão, o que representa apenas 9% da área plantada no Nordeste (Brasil, 2000). Contudo, a Região Nordeste, tradicionalmente produtora e distribuidora de coco-verde para todo o Brasil, apresenta-se também com um mercado crescente dessa fruta tanto na forma “In natura” quanto como água envasada, ou ainda, mesmo a partir de máquinas extratoras, o que permite a comercialização em shopping, supermercados, pontos comerciais de grande movimentação, além das vendas tradicionais nas praias devido principalmente a sua associação com o turismo (Brasil, 2000). O cultivo do coqueiro vem despontando com um enorme potencial, se caracterizando como importante fonte de geração de emprego e renda para essa Região. A falta de coqueiros melhorados e adaptados às condições locais se constitui em um dos principais fatores que limitam a expansão do cultivo dessa palmácea na região. Diversos trabalhos realizados, em várias partes do mundo(Akpan, 1994; Zushun, 1994; Bourdeix et al., 1992), evidenciam a importância da avaliação do grau de adaptabilidade de variedades ou de genótipos de coqueiro às condições edafoclimáticas de um determinado local. Nas Filipinas, a escolha de variedades melhor adaptadas às condições edafoclimáticas é uma das principais medidas recomendadas para evitar o decréscimo do rendimento observado nos últimos anos (Aldaba, 1995). No Brasil, alguns trabalhos tem demonstrados maior adaptabilidade das cultivares de coqueiro Anão, dentre elas as cultivares Anão Verde do Jiqui, Anão Amarelo da Malásia, Anão Vermelho da Malásia, Anão Vermelho de Gramame e Anão Amarelo de Gramame como as mais promissoras, embora só se tenha dados disponíveis relativos a fase de crescimento das plantas (Jucá et al., 2002; Ramos et al., 2004). Este trabalho teve por objetivo avaliar o comportamento de cultivares de coqueiro Anão nas condições edafoclimáticas dos Tabuleiros Costeiros do Piauí visando estabelecer populações que possam servir de base para a formação  e propagação de materiais adaptados para a Região.

Fonte:http://www.cpamn.embrapa.br/publicacoes/new/boletins/bpd_pdf/boletim_60.pdf